Novidades

Universidade de Liverpool, Fiocruz e Saúde Criança trabalham em parceria para beneficiar crianças com microcefalia causada pela Zika

Em dezembro as instituições realizaram o primeiro encontro desse projeto, onde as famílias  do Saúde Criança participaram de atividades para estimulação dessas crianças com comprometimento neuropsicomotor.

A Universidade de Liverpool e a Fundação Oswaldo Cruz estão promovendo um projeto colaborativo, em parceira com a Associação Saúde Criança, para beneficiar crianças com microcefalia causada pela Zika ou com doenças neurológicas similares. O objetivo é ensinar as famílias a estimularem seus filhos a fim de ajudarem a atingir seu potencial máximo.

O primeiro encontro desse projeto foi realizado no dia 01 de dezembro de 2017. A equipe conversou com mães e responsáveis sobre como podem ajudar na melhoria da qualidade de vida dessas crianças, além de ensinarem exercícios de fisioterapia e musicoterapia. “Foi ótimo! Eu gostei da música porque meu filho interagiu mais. Também achei interessante os exercícios para fazerem em casa para desenvolver a audição e toque” disse Maria, mãe de Ricardo, que são assistidos pelo Saúde Criança.

IMG_2032

No primeiro semestre de 2018, serão feitos mais seis encontros sempre às sextas-feiras, de 10h às 15h, na sede do Saúde Criança. Além disso, a equipe realizará uma pesquisa qualitativa associada ao projeto para descobrir que tipo de atividades ajuda a melhorar o cuidado e qualidade de vida dessas famílias.

equipe

Para a equipe da Universidade de Liverpool, os objetivos e princípios utilizados pelo Saúde Criança são perfeitos para essa parceria. “Desejamos compartilhar nossa experiência em pesquisa e projetos de “public engagement” com Brasil e em outros países pra conseguir criar um projeto que ajude a melhorar a qualidade de vida dessas crianças e de seus familiares. Queremos também preparar uma série de vídeos para levar esses conhecimentos específicos para outras famílias. Também desejamos transmitir a outros centros e grupos que é preciso este tipo de atividades de intervenção multidisciplinar para ajudar a grupos vulneráveis da população. Finalmente, esperamos que essa parceria ajude a abrir conhecimentos para melhorar atividades e projetos em todo o mundo” disse Raquel Medialdea Carrera, do Instituto de Infecção e Saúde Global da Universidade de Liverpool.

A equipe está fazendo um projeto em Recife (PE) desde julho de 2017 e no Estado do Rio de Janeiro, também realiza vários projetos e trabalhos em colaboração com a Fiocruz porque o Rio foi um dos mais afetados pelo Zika durante a epidemia de 2016.